Experiência Startup Weekend Curitiba

Nos dias 20 a 22 de julho aconteceu o A Startup Weekend 2018 de Curitiba na ESIC MKT BUSINESS SCHOOL. O evento de três dias, começou na sexta as 18h00 terminando no domingo as 22h00 mas sem necessidade de virar a noite. O evento durou ao todo 54 horas onde empreendedores, desenvolvedores, designers e entusiastas se unem para compartilhar ideias, formar equipes para criar startups.

Na sexta aconteceu a integração das pessoas, palestras do allan Costa descrita mais abaixo, levantamento das ideias, votação das ideias e formação das equipes.

A interação inicial entre as pessoas foi por meio de uma brincadeira em que o público falava 20 palavras aleatórias. Ao passo que grupos foram formados recebendo um número e ao final se reunindo. Um representante do grupo foi escolhido para pegar duas palavras e utilizar de contexto na startup. A brincadeira era para abrir a mente, os participantes se relacionarem, perceber quem tomava frente para ser líder e falar no palco a solução do grupo.

A seguir foi realizado o pitch, apresentação da ideia em 1 minuto de maneira voluntária por pessoa. Ao todo foram realizadas 40 pitchs de ideias mas as dez mais votadas seriam trabalhadas no final de semana.
Cada pessoa tinha direito a três votos, entretanto só podia votar uma vez na sua ideia. Após rankear as dez ideias, eu escolhi a do Feedback Empresarial. A equipe (Da esquerda para a direita) no qual fez parte deste projeto:

  • Akira - Negócio
  • Andrea - Negócio
  • Gabriel - Desenvolvedor
  • Augusto - Desenvolvedor
  • Tiana - Negócio
  • Lais - Negócio

Num consenso chegamos nesta empresa:

A FEEDBACK.COOL é uma Startup criada como objetivo de melhorar a comunicação entre gestores e funcionários, transformando o feedback convencional em um instrumento dinâmico. O mesmo pretende resolver os problemas de identificação do que o funcionário pensa entre os colaboradores da empresa. Um dos grandes problemas nas corporações é falha de comunicação e insatisfação entre os funcionários. Como consequência aumenta o índice de rotatividade e baixa retenção de talentos. Nas pesquisas de mercado que fizemos, identificamos que 30% das empresas dizem que o maior desafio é a relação entre as pessoas e 67 % acreditam que a comunicação pode ser melhorada e 75% dos feedbacks realizados de formas mais transparente. Como solução será desenvolvido uma plataforma que oferece um canal seguro, dinâmico e transparentes dos feedbacks realizados. A operacionalização será feita de maneira online, sendo que cada pode realizar feedbacks sem restrição de hierarquia. Os dados coletados serão analisados pela nossa equipe, que fará orientações de melhorias e condutas para transformação cultural da empresa. Como diferencial nós temos a opção do feedback ser anônimo e devolutiva digital. A apresentação está disponível em aqui.


Calma, peraí não é assim, para chegar neste resultado passamos muita coisa. O mais importante foi a jornada até este resultado então vamos lá:


Para chegar neste produto passamos por diversas discussões, pivotadas: mudança de foco no projeto, momentos em que ninguém se entendia, e principalmente pelo questionamentos dos mentores, dizendo que:

"eu não compraria uma rede social de comida de rabo"
"Pra mim não faz falta o feedback de uma pessoa"
"Levanta a bunda e conversa com pessoas para validar a ideia"
"Como assim você não tem nenhum contato de empresário no seu whatsapp"

Os mentores eram pessoas que trabalham em startups ou já foram empreendores. Eles iam de equipe a equipe, provocar a ideia e questionar a validade da empresa. A mentoria foi super importante para organizar, demandar atividades, criar força internar nos agilizar, estávamos sem foco, norte, muito obrigado novamente e principalmente o japa japeta que nos escolheu como mentor, nos chacalhou, depois nos afagou, foi totalmente sincero com nossas cagadas no processo. Toda hora foi frisado é não é o produto ou solução é a identificação da dor que o mercado sente. Também nos ensinou um básico de marketing, para identificar o público que paga, o que propaga e o que compra. Essa cadeia é incentivada atuando no público que paga que é mais restrito e depois vai se abrindo até o de compra. (OBRIGADO JAPA JAPETA)

Ao longo das 54h, houve workshops e palestras todas muito interessantes.

Allan Costa

A apresentação do Allan Costa falou de coisas que ninguém vai te contar sobre empreender. Ele enfatizou quais fatores são equivado para a motivação de empreender: Segurança de emprego, faça o que você ama, pensar no glamour, qualquer um consegue empreender, ideia + startup = to rico.

Em seguida, na visão deles empreender é necessário três aspectos unidos, paixão, habilidade e mercado. Ser empreendedor acarreta em autonomia, liberdade, realização, querer fazer as coisas acontecerem. Para empreender é necessário realizar o ciclo, aprender, construir e medir sempre. Durante toda a jornada é essencial, coragem, fome para agir, não é a empresa é o empreendedor.

Hiro

O palestra mostrou um molde de boas práticas de pitch. O slide está como apoio para nortear nos seguintes componentes, quem somos, contextualizar a oportunidade de negócio, mostrar que existe demanda por meio das validações, pesquisas online, notícias. A seguir como resolver este problema, depois o que você resolve. Como aplica esta solução, o worlkflow do cliente, como ganhar dinheiro, mostrar os diferencias nos concorrentes, o que iremos resolver primeiramente, depois as metas e o time. Apresentação completa aqui


A equipe campeã foi o “Vem pro fut” uma plataforma que recebe vídeos de futsal masculino, futebol masculino e feminino e cria métricas que quantificam a habilidade deste jogador(a) para repassar aos clubes. A equipe que ficou em 2º lugar desenvolveu um boardgame para ensinar conceitos “chatos” das disciplinas da escola no ensino fundamental. A equipe que ganhou a medalha de bronze criou produto de testamento digital. Enfim todas as apresentações foram muito legais e muito bacanas!!!

Ao longo da jornada, ao reflitir digo que os maiores Pontos de Aprendizagem foram:

  • A ideia não vale nada, o que importa é a validação deste problema no mercado
  • Tudo que a gente acha sobre o problema, precisa ser validado
  • Não se prenda ao produto/ideia, valide no mercado
  • Realizar interações sociais já no ínicio da maratona, se apresentar, o que gosta e não gosta de trabalhar, experiências em hackatons e muito importante definir o líder.
  • Se todos discutem a mesma hipótese o debate nunca vai acabar
  • Reunir em um tempo pré-estabelecido para reportar o andamento das atividades
  • Um líder não pode desistir da temática da ideia
  • O mundo não é um painel de indicadores de análise de dados
  • Não ficar preso aquilo que você acha mais correto
  • Pivotar é um processo muito similar a analisar dados
  • Todos cartão de contato que receber vou adicionar no whatsapp!
  • Levar pranchetas

POR MAIS STARTUPS WEEKENDS!!!!!